Bursite no ombro: o que é, quais são os sintomas e como tratar

Bursite no ombro: o que é, quais são os sintomas e como tratar

A bursite é a inflamação ou irritação de uma bursa, que pode ser definida como uma pequena bolsa localizada entre o osso e as estruturas móveis do corpo – músculo, pele ou, principalmente, tendões. A função da bursa é permitir um melhor deslizamento entre essas estruturas móveis – ou seja, ela ajuda a manter os movimentos do nosso corpo sem limitações ou incômodos.

Por cumprir esse papel, a bursa é um elemento muito importante para o bom funcionamento dos braços, mãos e pernas de um praticante de atividades físicas, por exemplo. E é justamente em função disso que a bursite é um problema tão incômodo: qualquer tendão ou bursa pode ser afetado, em qualquer parte do corpo. Trata-se, portanto, de um assunto que merece atenção especial, ainda mais para quem gosta de esporte e faz exercícios regularmente.

Saiba quais são os pontos mais vulneráveis

Os tendões e bursas localizados nos ombros, cotovelos, punhos, dedos, quadris e joelhos são as partes do corpo onde a bursite ocorre com maior frequência. Entre todos esses pontos vulneráveis, hoje vamos dedicar uma atenção especial à bursite do ombro, cuja dor noturna é considerada um dos sintomas mais comuns desse tipo de inflamação.

De qualquer forma, é importante saber que algumas coisas valem tanto para casos de bursite no ombro como para todos os demais. Em primeiro lugar, é bom entender que a bursite é uma condição temporária, mas que pode se transformar num problema crônico caso não seja devidamente tratada. Para alívio de quem sofre desse problema, a bursite não causa nenhum tipo de deformidade.

Por fim, destacamos que todos os tipos de bursite são passíveis de tratamento –portanto, ninguém precisa temer esse diagnóstico. A melhor coisa a se fazer em caso de suspeita de bursite é procurar o médico ortopedista para identificar o problema corretamente e saber o que fazer para melhorar.

Como saber se você sofre de bursite

Para que o tratamento seja feito da forma correta, antes deve ser feito um diagnóstico preciso, com uma avaliação cuidadosa do histórico médico do paciente e, principalmente, com um exame físico bem feito. Com isso, é possível avaliar a real condição do paciente e planejar a melhor maneira de tratar do problema.

Os sintomas mais comuns de bursite são dores nas articulações. Além disso, o paciente pode sentir uma sensibilidade maior quando aplicar pressão nas áreas ao redor das articulações. Rigidez na hora de fazer algum movimento e incômodo ao mexer a área afetada também é um sinal de alerta. Por fim, muitas vezes o paciente relata o surgimento de edema no local.

O que pode provocar a bursite?

Os movimentos repetitivos costumam ser o fator mais comum quando se trata da ocorrência de uma bursite. No caso da bursite de ombro, exigir demais da articulação – especialmente com repetição constante de movimentos com o braço elevado acima da cabeça – pode desencadear esse problema. Quem pratica natação, por exemplo, é candidato a sofrer de bursite no ombro, assim como os tenistas. Afinal, as braçadas na piscina e o saque na quadra são exemplos perfeitos de movimentos que colocam essa articulação à prova.

É importante dizer, no entanto, que não são apenas os atletas (sejam eles de fim de semana ou profissionais) que podem desenvolver uma bursite. Atividades bem mais corriqueiras, como pintura, jardinagem, faxina e até o uso de certos instrumentos musicais podem acabar causando a inflamação na bursa. Também há casos de bursite provocada por movimentos excessivamente bruscos.

Qualquer pessoa está sujeita a ter bursite, mas existem fatores de risco que podem aumentar a chance de inflamação nas articulações. O primeiro deles é mais do que compreensível: a idade. Com o envelhecimento, o desgaste das articulações é maior e, portanto, o risco de inflamação também aumenta. Outras doenças, como diabetes, artrite reumatoide e gota, também podem contribuir para o surgimento do problema.

Como tratar casos de bursite

Depois do correto diagnóstico médico – que, vale reforçar mais uma vez, é fundamental para resolver o problema –, o ortopedista tem uma ampla gama de métodos e procedimentos para aliviar as dores do paciente que sofre de bursite e garantir que ele volte a movimentar o ombro normalmente, sem nenhum incômodo ou restrição de função.

O tratamento da bursite costuma incluir a prescrição de medicamentos, incluindo injeções na bursa inflamada, o que costuma oferecer um rápido alívio ao paciente. Mas ele não se limita a isso: o médico pode recomendar que você faça fisioterapia para ajudar a espantar as dores, ou que realize exercícios específicos capazes de fortalecer a musculatura da região e prevenir a reincidência da inflamação.

Tratamento tem alto índice de sucesso

Em casos mais graves, em que a bursite torna-se crônica e não desaparece com os tratamentos mais usuais, um procedimento cirúrgico pode ser a solução indicada pelo médico. Mas a pessoa que nota sintomas de bursite no ombro não precisa se assustar ou temer essa possibilidade – e isso, é claro, não deve afastá-lo de procurar o ortopedista.

O mais comum é mesmo um tratamento convencional – e que, combinado a alguns cuidados simples (como descanso do local afetado, aplicação de gelo em caso de inchaço e alongamentos e exercícios de fortalecimento), pode acabar com as dores dentro de relativamente pouco tempo. Não vale a pena perder tempo achando que aquele incômodo vai desaparecer sozinho. O melhor é buscar a ajuda de um especialista e se recuperar plenamente.

2017-10-24T08:31:06+00:00

About the Author:

DR. PAULO HINNIGER NETO
CRM-SP 138.495 | TEOT 13354 - Especialista em Ortopedia e Traumatologia e cirurgia do Ombro e Cotovelo. Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.
Traumatologista